Padi Women Dive Day 2019 - Angra dos Reis

Nosso objetivo, assim como o da PADI é simples: celebrar mulheres mergulhadoras do mundo. Ao nos unirmos para essa celebração, fortaleceremos e aumentaremos a comunidade feminina de mergulhadores, atrairemos novas mulheres para o mergulho autônomo e livre e motivaremos as mergulhadoras existentes a voltarem para a água. As mulheres, hoje, são muito importantes e atuantes nos diversos segmentos do mergulho, seja na educação, na exploração e na manutenção da atividade, na conservação do ambiente, nas pesquisas, etc.  O que comprova que elas podem e estão em qualquer lugar que queiram!

Então, mulherada, venha mergulhar, comemorar, rir e se divertir conosco nesse final de semana!

Aos companheiros, amigos e admiradores desse sexo forte, seja bem vindo também ao nosso evento!

ANGRA DOS REIS – POUSADA RECANTO DO BEM TE VI – 20 E 21 DE JULHO DE 2019

 20 de julho – sábado

9:00 hs Saída pra 02 mergulhos, com lastro e lanche à bordo
14:30 hs Coquetel de Boas Vindas no Deck e Piscina
18:00 hs Palestra – Um olhar feminino na preservação ambiental

Por Paula Romano, responsável pelo projeto Mantas do Brasil e diretora do Instituto Laje Viva

19:30 Sorteio de brindes
20:00 Jantar de Confraternização

 

21 de julho – domingo

8:30 hs Saída pra 02 mergulhos, com lastro e lanche à bordo
14:00 hs Encerramento

 

INVESTIMENTO INCLUI:

  • Hospedagem de sexta a domingo na pousada em apt duplo ou triplo com café da manhã
  • Coquetel de Boas Vindas
  • Jantar de Confraternização (não inclui bebidas)
  • Blusa do Evento
  • Participação nos sorteios

Mergulhador: R$960,00 – sinal de R$300,00 e saldo em 3 parcelas no cartão

Não mergulhador (*): R$660,00 – sinal de R$200,00 e saldo em 3 parcelas no cartão

(*) inclui 2 passeios de barco

 

RESERVAS:

Flávia Fonseca: flavia@ocean.com.br / whats: 21-99529-8776

Noeli Ribeiro: noeliribeiro@yahoo.com.br / whats: 41-9922-9933

Padi Women Dive Day 2018

Pousada Recanto do Bem Te Vi


Bonaire é com a Océan!

bonaire

Que tal visitar a ilha que é considerada o Paraíso dos Mergulhadores, com uma turma super animada em plena Páscoa?

No período de 08 a 15 de abril de 2017, estaremos viajando para Bonaire, e você está convidado a participar desta aventura.

Nosso pacote inclui:

  • Trecho aéreo Rio – Bogotá – Curaçao – Bogotá – Rio, voando Avianca;
  • Trecho aéreo Curaçao – Bonaire – Curaçao, voando InselAir;
  • Transfer aeroporto – hotel – aeroporto, em Bonaire;
  • 07 Noites no Buddy Dive Resort, em vilas com duas suites (para duas pessoas cada) independentes e café da manhã;
  • 06 Diárias de pick-up (para cada 04 passageiros);
  • 06 Dias de mergulhos ilimitados de praia;
  • Recargas com nitrox (apenas para mergulhadores certificados em Nitrox);
  • Seguro de viagem – MIC Easy ou similar;

Formas de Pagamento:

  • A Vista: US$ 2.220,00 + taxas;
  • Parcelamento em cartão de crédito (Visa ou Mastercard): Entrada de US$ 500,00 + taxas via depósito bancário e saldo de US$ 1.858,00 em até 05x sem juros;
  • Taxas de embarque: US$ 103,00 – Pagas junto com a entrada;

Valores por pessoa. A taxa do cambio (Dólar Turismo SP – Valor de Venda) para conversão em Reais poderá ser consultada no site do Valor Econômico: http://www.valor.com.br/valor-data. Os passageiros devem ter passaporte válido por no mínimo seis meses, após a data de retorno da viagem. Comprovante internacional de vacinação contra febre amarela poderá ser exigido. Valores sujeitos a alteração a qualquer momento e sem aviso prévio. Reservas sujeitas a disponibilidade dos serviços por parte dos fornecedores.

Quer saber mais sobre o destino?

Então veja nosso post sobre Boanire em: https://www.ocean.com.br/bonaire-o-paraiso-dos-mergulhadores/

Bonaire é com a Océan!


Festa de 25 Anos da Océan

Dia 5 de novembro na Jazz Inn Champanheria

Festa de 25 anos Océan

A Océan está completando 25 anos! É uma data muito importante e que merece uma comemoração especial!
Vamos realizar uma super festa no dia 5 de novembro, na Jazz Inn Champanheria, bem no coração da Zona Portuária. Vai ter música ao vivo, muita animação e sorteio de diversos brindes.  O ingresso custará R$30,00 e a consumação será cobrada à parte no local.
E quem adquirir o ingresso online receberá em troca um voucher* no valor de R$ 100,00, para uso em nossas saídas de mergulho em Angra dos Reis. Não fique de fora, garanta já seu ingresso!


* O voucher será válido até 14/05/2017 e será gerado e enviado por e-mail dois dias úteis após o evento, juntamente com as regras para uso.

Quando:
5 de novembro às 21h30

Onde:
Jazz Inn Champanheria
Rua Sacadura Cabral, 63
Gamboa – Rio de Janeiro

Valor:
R$ 30,00


Destino: Florida Keys

Vamos conhecer um pouco mais sobre um dos melhores destinos para mergulho em naufrágios das Américas: Florida Keys.

As Keys tem início na costa sudeste da Flórida e se estende em forma de arco do sul para o oeste, terminando em Key West, o ponto mais ao sul dos Estados Unidos.
Este arquipélago é formado por inúmeras ilhas e ilhotas e interligadas ao continente pela autoestrada overseas highway, com aproximadamente 150 km de extensão.

Para quem pretende mergulhar na região, existem basicamente duas opções de roteiro:
1- Ir de avião até Key West e lá alugar um carro para circular entre as ilhas;
2- Partir de Miami em um carro alugado até chegar a região, tendo a opção de começar ou não por Key West;
Particularmente prefiro os roteiros que iniciam por Key West e depois vem voltando em direção a Miami. Quanto a seguir de avião até lá ou não, fica a seu critério.

Etapa Key West

Estando em Key West minha sugestão é que você planeje ficar por pelo menos três noites. Assim você terá a possibilidade de fazer dois dias de mergulho na Ilha, e com um pouco de sorte e conversa, você pode vir a fazer até 03 imersões no Vandenberg. Além disso uma visita ao Mel Fisher Museum é imperdível.

O Vandenberg serviu a Força Aérea e a Marinha Americana, entre 1943 e 1983, e é um verdadeiro playground para que gosta de mergulhos em naufrágios. Com aproximadamente 160 metros de comprimento, o navio é famoso por suas antenas, utilizadas nas missões de rastreamento de mísseis balísticos.
Depois de algumas confusões burocráticas finalmente em 27 de maio de 2009 ele foi colocado no fundo para se transformar em um fantástico recife artificial. Para aproveitar ao máximo este naufrágio, informe-se sobre nosso curso de mergulho PADI avançado e sobre o curso de mergulho PADI em naufrágios.

Etapa Marathon

Ao deixar Key West minha sugestão é que você siga para Marathon para dois mergulhos no Thunderbolt. Mas vale uma ressalva: estamos falando de uma distância aproximada de 80Km, ou seja, se você planeja sair de Key West direto para o cais da operadora de mergulho em Marathon, pense em iniciar a viagem duas horas antes do horário previsto para o embarque. Informe-se localmente quanto as condições do transito.

Falando sobre o Thunderbolt, ele foi construído em 1942 para instalar minas de contato. Seu nome de batismo foi Major General Wallace F. Randolph, em homenagem a um herói da guerra civil americana.
O Thunderbolt, como ficou conhecido após ser transformado em recife artificial. Tem 58 metros de comprimento e repousa no fundo a 37 metros de profundidade.

Etapa Key Largo

Vamos falar agora do Spiegel Grove. Podemos considera-lo o ponto alto da viagem. Com incríveis 160 metros de comprimento, esteve a serviço da Marinha Americana entre novembro de 1955 e outubro de 1989 e foi empregado em um amplo leque de operações, que foram desde missões de treinamento de tropas anfíbias até ações humanitárias na Africa. Hoje o Spiegel Grove repousa a 40 metros de profundidade e seu heliponto e o porão localizado logo abaixo dele, são simplesmente sensacionais.
O Bibb e o Duane eram duas embarcações gêmeas da Guarda Costeira Americana. Ambos atuaram na Segunda Guerra Mundial em escoltas a comboios. Após serem descomissionados em 1985, foram adquiridos e preparados para serem afundados e transformados em recifes artificias, o que aconteceu em 1987.

Depois desta maratona de mergulhos em naufrágios, você pode planejar uma estadia de dois dias em Miami para compras, antes de retornar ao Brasil.
Se você quer alguma dica adicional sobre o destino me mande uma mensagem por e-mail ou deixe seu comentário que eu tentarei te ajudar da melhor forma possível.


Sidemount - Conhecendo um Pouco Mais

Obtenha informações objetivas sobre esta modalidade de mergulho e se ela irá ou não agregar valor ao seu dia a dia como mergulhador.

Mergulho com Sidemount pode ser resumido como um conjunto de técnicas, regras e equipamentos que permitem você mergulhar com os cilindros configurados lateralmente.

O uso desta configuração teve início ainda na década de 60 quando mergulhadores de caverna ingleses começaram utiliza-la para passar por restrições em determinados mergulhos de exploração. A evolução desde lá foi lenta até que nos anos 2000 foram disponibilizados sistemas comerciais que permitiam uma configuração mais simples e segura para o mergulhador. A reboque várias agências certificadoras lançaram seus programas de treinamento, permitindo assim a expansão da atividade, inclusive no âmbito do mergulho recreativo. Saiba mais sobre o nosso curso de mergulho PADI Sidemount.

Evolução do Sidemount

Mergulho com Sidemount pode ser resumido como um conjunto de técnicas, regras e equipamentos que permitem você mergulhar com os cilindros configurados lateralmente.

O uso desta configuração teve início ainda na década de 60 quando mergulhadores de caverna ingleses começaram utiliza-la para passar por restrições em determinados mergulhos de exploração. A evolução desde lá foi lenta até que nos anos 2000 foram disponibilizados sistemas comerciais que permitiam uma configuração mais simples e segura para o mergulhador. A reboque várias agências certificadoras lançaram seus programas de treinamento, permitindo assim a expansão da atividade, inclusive no âmbito do mergulho recreativo. Saiba mais sobre o nosso curso de mergulho PADI Sidemount.

Vantagens e Desvantagens

Os principais benefícios desta configuração incluem:
– Melhora do perfil hidrodinâmico;
– Aumento do suprimento de gás para o mergulho;
– Acesso fácil a todo o equipamento; e
– Gerenciamento de problemas como vazamentos, débito contínuo do regulador, etc;

As principais desvantagems são:
– Desconforto quando estiver equipado fora da água;
– Gerenciamento mais complexo do gás;
– Falta de familiaridade do seu dupla com a configuração, em um caso de emergência; e
– Custo final do equipamento;

Serve para mim?

A pergunta que muitos mergulhadores me fazem é: a configuração sidemount vai agregar algum valor ao meu mergulho? Normalmente respondo esta pergunta com uma nova série de questionamentos que irão ajudar ao mergulhador encontrar a resposta por si mesmo. Vamos a alguns exemplos:

1- Acontece com frequencia de você entrar na reserva enquanto seu dupla ainda tem gás (ar, nitrox, etc) para continuar o mergulho? Se a resposta foi sim, isso é um problema?
2- Você tem costume de fazer mergulhos mais profundos o que faz com que a quantidade de gás disponibilizado por um cilindro S80 não seja suficiente?

3- Você pretende fazer um curso de mergulho técnico, mesmo que seja apenas o primeiro nível de treinamento para que possa realizar mergulhos descompressivos com segurança?

Se as respostas foram sim, a configuração sidemount pode ser a solução. Claro que outras opções, como adoção de cilindros de maior capacidade ou até mesmo cilindros duplos poderiam resolver estes problemas, mas a realidade é que você terá bastante dificuldade em encontrar cilindros especiais na maioria da operadoras ao redor do mundo, enquanto cilindros S80 estão disponíveis em qualquer lugar, o que permite utilizar a configuração sidemout em praticamente qualquer mergulho.

Mas é importante ressaltar que será necessário investir tempo e dinheiro para configurar o seu equipamento e adquirir o treinamento necessário para opera-lo com segurança. Vale também uma dica: se você optar por utilizar a configuração sidemount, após concluir seu treinamento passe a realizar sempre que possível mergulhos utilizando esta configuração, o que garantirá um nível cada vez maior de conforto no mergulho. E seu dupla não necessariamente terá que estar usando a mesma configuração, ou seja, ele pode mergulhar com um cilindro simples S80 enquanto você mergulha com dois cilindros montados lateralmente.

Grade de Cursos PADI - Programa GoTec


Dispositivos de Sinalização

Neste post vamos falar sobre dispositivos de sinalização para mergulho autônomo.

Dispositivos de sinalização para mergulho autônomo podem fazer uma grande diferença no grau de segurança dos seus mergulhos. Para que possamos entender um pouco mais sobre o assunto, vamos dividi-los em dois grupos:
– Dispositivos de sinalização sonoros e;
– Dispositivos de sinalização visuais.

Temos que levar em conta que na maioria das vezes usaremos dispositivos de sinalização como uma ferramenta em caso de emergência, portanto não basta apenas compra-los. Devemos saber opera-los com uma razoável destreza, para que em uma situação real sua operação seja eficaz.

Dispositivos de Sinalização Sonoros

Caso aconteça do mergulhador retornar a superfície longe do barco, e que por algum motivo não tenha condições de nadar até ele, torna-se necessário chamar a atenção da tripulação para a sua situação. Para isso um dispositivo de sinalização sonoro pode ser a solução.
Na ausência de um dispositivo mais potente que usa o ar comprimido do cilindro para gerar o som, um simples apito poderá fazer toda a diferença.
O importante é que você tenha sempre a mão um dispositivo qualquer capaz de gerar um som que possa ser ouvido pela tripulação.
Mas não confunda um sinalizador sonoro para uso na superfície com aqueles utilizados para chamar a atenção do seu dupla durante o mergulho.

Dispositivos de Sinalização Visuais

O mais famoso e mais utilizado dispositivo desta categoria é o sinalizador de superfície. Muitas vezes este dispositivo é confundido com um decomarker, que possui uma construção diferenciada.
Nos decomarkers o fundo é aberto e uma costura eletrônica cria um canal por onde o ar passa durante a inflagem e não consegue sair com facilidade durante o tempo que fica na superfície.
Este acessório tem como função primária sinalizar para a equipe de apoio de superfície que uma dupla ou grupo de mergulhadores está realizando uma parada de segurança ou de descompressão antes de retornar a superfície. Seu uso é praticado durante o desenvolvimento de habilidades de um curso Padi Advanced Open Water Diver.
Por outro lado um sinalizador de superfície foi desenhado para ser inflado apenas quando o mergulhador chega a tona e sua função é de chamar a atenção da tripulação para mergulhadores que já estão na superfície.

Outra forma de sinalizar para o barco é utilizando uma superfície espelhada que poderá ser transportada no bolso do colete equilibrador ou na bolsa do próprio sinalizador.
Um pouco de treino permitirá o mergulhador a utilizar este tipo de sinalizador com bastante eficiência.

Durante um mergulho noturno o uso de um dispositivo luminoso preso ao sinalizador ou decomarker também podem auxiliar a equipe de apoio de superfície a localizar uma dupla de mergulhadores na água. Mesmo tendo uma lanterna a mão esta configuração funcionará como uma redundância e caso de alagamento da mesma.

Conclusão

Independentemente de quais sinalizadores você opte por usar, o importante é que o seu manuseio seja frequentemente treinado. Além disso, possuir um modelo de cada (sonoro e visual) garantirá uma redundância desejável em uma situação real de emergência.


Snorkel, o esquecido

Neste post vamos falar sobre um equipamento que todo mergulhador tem mas que a maioria absoluta deixa de usar quase imediatamente após aprender a mergulhar: o snorkel.

Antes de entrar um pouco mais na questão do uso, vamos lembrar qual a função deste equipamento.

Uma das melhores formas de se deslocar na superfície é nadando na posição de bruços, onde mantemos a cabeça na horizontal, o que evita o desgaste muscular na região do pescoço.
A cabeça de um ser humano adulto pode pesar algo entre 6Kg e 8Kg, então é fácil imaginar o esforço necessário para mantê-la fora da água durante uma natação, por menor que seja a distância.
Na falta de um snorkel, os mergulhadores optam por uma natação de costas, para evitar a desconforto de nadar forçando a cabeça ficar para fora d´água. Dentre os inconvenientes do uso desta técnica de natação podemos citar:
– Dificuldade de manter a direção do nado;
– Risco de colisão com pedras ou estruturas mais rasas;
– Impossibilidade de observar outros mergulhadores que ainda estejam no fundo ou em uma parada de segurança, entre outros.
Além disso, em condições adversas, a natação utilizando um snorkel é bem mais confortável do que sem ele.

Mas, e aí?

Mas se o snorkel pode facilitar a vida porque ele não é utilizado pelos mergulhadores, em diferentes níveis de treinamento? A primeira resposta é que ao observar divemasters e instrutores mergulhado sem um snorkel alguns passam a adotar a mesma postura. Muitos nos questionam sobre o motivo pelo qual deixamos o uso do snorkel de lado e na maioria das vezes recebem como justificativa que como praticamos mergulho em naufrágios ou técnico, onde o snorkel pode se tornar um fator de risco por conta de enrosco, acabamos por abandonar definitivamente o seu uso.
Além disso o trabalho de coloca-lo e remove-lo da máscara a cada dia de mergulho contribui para deixa-lo de lado na bolsa de equipamentos.

Então qual seria a melhor solução?

Bom, alguns fabricantes de equipamentos desenvolveram modelos de snorkels dobráveis que podem ser mantidos no bolso do colete durante todo o mergulho e facilmente conectados a máscara na superfície em caso de necessidade. Assim temos o melhor dos dois cenários:
Durante o mergulho estaremos sem ele, o que reduz o risco de enrosco e também o atrito gerado durante a natação, principalmente nos casos onde houver presença de correnteza. E no momento da natação na superfície estaremos com ele, o que garantirá um maior conforto ao mergulhador.


Bonaire, o paraíso dos mergulhadores

Olá pessoal, neste post vamos falar sobre Bonaire o paraíso dos mergulhadores.

Localizada a apenas 80km da costa da Venezuela, Bonaire forma juntamente com as ilhas de Aruba e Curaçao as chamadas Antilhas Holandesas.

Com uma área total de 290km2, a ilha oferece nada menos que 63 pontos de mergulho acessíveis a partir da praia. Este fato aliado a política de cilindros ilimitados adotada pelas operadoras, fizeram a ilha ser conhecida internacionalmente através do slogan: Bonaire o paraíso dos mergulhadores.

Enquanto o norte da ilha oferece paredões que atingem maiores profundidades, alguns pontos localizados do centro para o sul possuem paredes duplas, como é o caso de Alice in Wonderland e Angel City. Além disso temos famosos naufrágios, como é o caso do Hilma Hooker e o Windjammer, que exige treinamento em mergulho técnico. Mais ao sul a presença de correntes que atingem a ilha pela face leste pode oferecer encontros com animais normalmente não encontrados nos demais pontos de mergulho, como golfinhos por exemplo.

Falando no lado leste, este é bem menos explorado devido a predominância de ventos e ondulações, que dificultam e até mesmo impedem a prática de mergulho através de entrada pela praia. As únicas exceções são o White Hole e Cai, acessíveis através da lagoa chamada Lac.

Deste mesmo ponto parte um barco rápido para acesso ao White Hole, que é um mergulho bem diferente de todos os demais encontrados na ilha. Mas você deve se informar no hotel sobre a operação em questão, já que ela pode não estar disponível por motivos diversos.

Algumas recomendações importantes que você deve conhecer antes de seguir viagem:

1- Lembre-se que para chegar em Bonaire você normalmente utilizará duas diferentes companhias aéreas: uma para o trecho internacional e outra para um trecho local. Elas com toda certeza possuem regras distintas quanto a franquia de bagagem. Então dê uma atenção especial a montagem, a quantidade e ao peso de suas malas. Vou deixar aqui um link para um post onde apresento algumas dicas sobre como arrumar a sua mala de mergulho;

2- Ninguém supervisionará os seus mergulhos e nem quantos mergulhos você fará por dia. Então mantenha um perfil conservador e utilize sempre seu computador. Respeite todas as regras de segurança e também as normas locais. Em alguns pontos não são permitidos mergulhos sem a presença de um guia. O ideal é que você já possua a sua certificação de Padi Advanced Open Water Diver e Padi Nitrox Diver;

3- Como situações imprevistas podem acontecer, mantenha sua associação a DAN em dia;

4- Ao sair para mergulhar, procure não deixar nada dentro do carro durante a atividade. O carro deve permanecer aberto. Existe um histórico de furtos na ilha, mas que podem ser facilmente evitados se você mantiver um mínimo de atenção aos seus pertences. Com toda certeza Bonaire é muito mais tranquilo neste aspecto do que qualquer grande centro urbano;

Como podemos ver não faltam motivos para visitar Bonaire o paraíso dos mergulhadores.


A Importância da Hidratação no Mergulho

Se você adota hábitos saudáveis no seu dia a dia, já sabe a importância da hidratação para a nossa saúde. Para quem mergulha este á um hábito mais do que desejável.

A importância da hidratação na saúde tanto de mergulhadores como de não mergulhadores, é um assunto muitas vezes negligenciado no dia a dia. Nos últimos anos este tema tem sido discutido e estudado por pesquisadores na área de medicina hiperbárica a fim de determinar a sua real contribuição como fator de risco para casos de doença descompressiva.

Como sabemos, o nitrogênio residual absorvido durante um mergulho é eliminado através da respiração, mas este processo será menos eficaz se o mergulhador apresentar um quadro de desidratação. Isso porque em um quadro de desidratação crônica ou grave há uma redução de volume de plasma sanguíneo. Como o sangue é o responsável pelo transporte de nutrientes e também pelas trocas gasosas a nível celular, uma redução no volume de plasma poderá afetar o processo de eliminação de nitrogênio, aumentando assim o risco de doença descompressiva. Assim fica fácil entender a importância da hidratação para mergulhadores.

O Começo de Tudo

O que muitas vezes não nos damos conta é que o processo de desidratação inicia-se bem antes dos nossos mergulhos. Quando saímos de férias para mergulhar e utilizamos para isso transporte aéreo, somos expostos a uma atmosfera muito mais seca do que o normal, o que faz com que o nosso corpo gaste mais fluídos do que o normal.

Como na maioria das vezes os destinos de mergulho estão localizados em áreas quentes e ensolaradas, o processo de desidratação pode continuar de uma forma branda e sem apresentar sinais e sintomas mais intensos. Mesmo a sombra e com presença de uma agradável brisa este processo continua, através da evaporação do suor presente na nossa pela, que é na verdade uma forma do corpo buscar um equilíbrio térmico. No barco, antes e depois do mergulho e mesmo durante nossa imersão, perdemos líquido de várias formas:
– Pela transpiração, quando vestimos nossa roupa de mergulho ainda no barco e sentimos aquele calor;
– Pela respiração já que o ar no interior dos cilindros é muito seco para evitar corrosão no seu interior;
– E pela diurese, já que urinamos mais durante o mergulho do que o normal.

Se o mergulho foi feito no mar, sofremos ainda com o sal que fica na nossa pele após o mergulho.

Como estamos de férias, não é incomum participar de happy hours onde bebemos algumas cervejas, mojitos, etc. Como o álcool tem um efeito diurético é fácil entender como isso pode contribuir para um quadro de desidratação.

Então a orientação é de manter uma reposição constante de líquidos, bebendo pequenas quantidades de água regularmente. E isso deve iniciar já dentro do avião utilizado para alcançar o nosso destino. Um banho de água doce ao final de cada mergulho também é uma boa prática. Vale ressaltar que não é recomendado beber uma grande quantidade de água de uma só vez. Para quem pratica mergulho técnico, a reposição de líquidos é ainda mais crítica

Outros Fatores

Devemos lembrar também que apesar da importância da hidratação, este não é o fator de maior risco para desenvolvimento de casos de doença descompressiva.

O seu perfil de mergulho, o estresse térmico e nível de esforço realizado durante a atividade são fatores de risco muito mais importantes para o desenvolvimento de casos de doença descompressiva e merecem uma atenção especial. Vale ainda lembrar que um mergulhador pode repetir um mesmo perfil de mergulho várias vezes sem nenhum tipo de incidente e então desenvolver um quadro de doença descompressiva causado por outras questões fisiológicas. Por isso devemos manter um perfil conservador nos nossos mergulhos e cuidar de todos os fatores que possam contribuir para um acidente, visando elimina-los.

Bom, espero que esta nova série te ajude a mergulhar de forma mais segura e também contribua para o seu desenvolvimento na atividade.

A importância da hidratação na saúde tanto de mergulhadores como de não mergulhadores, é um assunto muitas vezes negligenciado no dia a dia. Nos últimos anos este tema tem sido discutido e estudado por pesquisadores na área de medicina hiperbárica a fim de determinar a sua real contribuição como fator de risco para casos de doença descompressiva.

Como sabemos, o nitrogênio residual absorvido durante um mergulho é eliminado através da respiração, mas este processo será menos eficaz se o mergulhador apresentar um quadro de desidratação. Isso porque em um quadro de desidratação crônica ou grave há uma redução de volume de plasma sanguíneo. Como o sangue é o responsável pelo transporte de nutrientes e também pelas trocas gasosas a nível celular, uma redução no volume de plasma poderá afetar o processo de eliminação de nitrogênio, aumentando assim o risco de doença descompressiva. Assim fica fácil entender a importância da hidratação para mergulhadores.

O Começo de Tudo

O que muitas vezes não nos damos conta é que o processo de desidratação inicia-se bem antes dos nossos mergulhos. Quando saímos de férias para mergulhar e utilizamos para isso transporte aéreo, somos expostos a uma atmosfera muito mais seca do que o normal, o que faz com que o nosso corpo gaste mais fluídos do que o normal.

Como na maioria das vezes os destinos de mergulho estão localizados em áreas quentes e ensolaradas, o processo de desidratação pode continuar de uma forma branda e sem apresentar sinais e sintomas mais intensos. Mesmo a sombra e com presença de uma agradável brisa este processo continua, através da evaporação do suor presente na nossa pela, que é na verdade uma forma do corpo buscar um equilíbrio térmico. No barco, antes e depois do mergulho e mesmo durante nossa imersão, perdemos líquido de várias formas:
– Pela transpiração, quando vestimos nossa roupa de mergulho ainda no barco e sentimos aquele calor;
– Pela respiração já que o ar no interior dos cilindros é muito seco para evitar corrosão no seu interior;
– E pela diurese, já que urinamos mais durante o mergulho do que o normal.

Se o mergulho foi feito no mar, sofremos ainda com o sal que fica na nossa pele após o mergulho.

Como estamos de férias, não é incomum participar de happy hours onde bebemos algumas cervejas, mojitos, etc. Como o álcool tem um efeito diurético é fácil entender como isso pode contribuir para um quadro de desidratação.

Então a orientação é de manter uma reposição constante de líquidos, bebendo pequenas quantidades de água regularmente. E isso deve iniciar já dentro do avião utilizado para alcançar o nosso destino. Um banho de água doce ao final de cada mergulho também é uma boa prática. Vale ressaltar que não é recomendado beber uma grande quantidade de água de uma só vez. Para quem pratica mergulho técnico, a reposição de líquidos é ainda mais crítica

Outros Fatores

Devemos lembrar também que apesar da importância da hidratação, este não é o fator de maior risco para desenvolvimento de casos de doença descompressiva.

O seu perfil de mergulho, o estresse térmico e nível de esforço realizado durante a atividade são fatores de risco muito mais importantes para o desenvolvimento de casos de doença descompressiva e merecem uma atenção especial. Vale ainda lembrar que um mergulhador pode repetir um mesmo perfil de mergulho várias vezes sem nenhum tipo de incidente e então desenvolver um quadro de doença descompressiva causado por outras questões fisiológicas. Por isso devemos manter um perfil conservador nos nossos mergulhos e cuidar de todos os fatores que possam contribuir para um acidente, visando elimina-los.

Bom, espero que esta nova série te ajude a mergulhar de forma mais segura e também contribua para o seu desenvolvimento na atividade.


Logbook - Compartilhe suas Experiências de Mergulho

O uso de um logbook permitirá que você compartilhe as suas experiências de mergulho com os seus amigos e ainda guarde informações sobre seus mergulhos.

Quando eu me brevetei como piloto privado, ao final de cada voo todos os dados eram passados para a caderneta de voo, que serve para comprovar a experiência do piloto e também como base para participação de treinamentos de especialização. Da mesma forma, o mergulhador ao fazer o curso básico recebe seu logbook e é orientado a registrar cada mergulho realizado, seja para treinamento ou para turismo.

Por motivos diversos, em algum momento o mergulhador simplesmente abandona o hábito de preencher o logbook e com isso perde informações preciosas sobre os mergulhos realizados, a configuração de equipamento e etc. Além disso ele permitirá que você compartilhe suas experiências de mergulho com os seus amigos.

Alguns mergulhadores transformam seus log books em verdadeiros diários de bordo, ilustrando suas páginas com fotos e dados sobre a vida marinha avistada, dados sobre o local de mergulho e até croquis de naufrágios existentes.

Logbooks Digitais

Hoje em dia, vários aplicativos oferecem versões eletrônicas de log books. Nestas plataformas você pode anexar arquivos de imagem e compartilhar os seus mergulhos com os seus amigos, através de redes sociais. Para atender a esta demanda, a PADI criou uma plataforma social chamada ScubaEarth, onde é possível não só logar os seus mergulhos como manter um registro detalhado das suas certificações, equipamentos e etc, além da busca por dive centers ao redor do mundo e acesso a uma base de dados de pontos de mergulho que você mesmo pode ajudar a manter. A aplicação pode ser acessada via web, através de um browser no seu desktop, ou via aplicação para dispositivos móveis. Ao acessar a plataforma não deixe de visitar a nossa página.

Para poder viajar para alguns destinos de mergulho você terá que comprovar a sua experiência não só com base na sua certificação como também com o número de mergulhos realizados. O mesmo vale para alguns treinamentos, como formação profissional e mergulho técnico. Mais um motivo para que você mantenha um log book atualizado.

Se você deixou de logar os seus mergulhos, minha sugestão é que você volte a anota-los, seja em um log book em papel, seja em um aplicativo, e compartilhe suas experiências de mergulho com os seus amigos. Em alguns aplicativos é possível anexar fotos e links para vídeos, o que ajudará a tornar o ato de logar os seus mergulhos mais divertido.